Guatemala: Presidente renuncia e é preso horas depois

Otto Molina perdeu a imunidade presidencial após ser acusado de receber propina para liberar empresários do pagamento de impostos

O presidente da Guatemala, Otto Pérez Molina, renunciou ao cargo nesta quinta-feira (03) e, horas depois, se entregou para a Justiça. Ele foi colocado em prisão preventiva até a conclusão de investigações de um esquema de corrupção envolvendo o alto escalão do governo no país.
O escândalo começou em abril deste ano, quando a Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (Cicig), órgão ligado à ONU e à Justiça do país, revelou em uma investigação de 40 casos de pagamento de suborno. O esquema ficou conhecido comoLa Línea (A Linha). Autoridades do governo recebiam propina para isentar empresas e empresários do pagamento de impostos de importação. Segundo a BBC, pelo menos 2,5 milhões de quetzales, ou aproximadamente US$ 330 mil, foram desviados.
Em maio, a vice-presidente do país, Roxana Baldetti, renunciou e foi presa, também acusada de fazer parte do esquema. Para a Justiça, entretanto, o presidente era o mandante do grupo. O escândalo se aprofundou nesta semana. Na quarta-feira, a Justiça emitiu ordem de prisão contra Otto Molina. Pela legislação do país, no entanto, ele não poderia ser preso, já que conta com imunidade. Por isso, o Congresso votou nesta semana para retirar sua imunidade presidencial. Após a derrota no Congresso, Molina se entregou.
Segundo o The New York Times, após entregar sua renúncia, nesta manhã, Molina se apresentou a um tribunal e passou mais de seis horas enfrentando os questionamentos dos promotores. A Promotoria mostrou mais de seis horas de gravações feitas em telefones grampeados como evidência da participação de Molina no esquema. Após a audiência, Molina foi levado à Prisão de Matamoros.
 
fonte: época
Barrancas Seu Portal de Notícias

Mostrar Mais
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.