Prefeito de Mirandópolis (SP) é multado e tem bens bloqueados após contrariar decreto de Doria, (Veja o Vídeo)

O prefeito de Mirandópolis, Everton Sodario (PSL-SP), foi multado pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) após contrariar o governador João Doria (PSDB) e permitir que o comércio local pudesse funcionar durante a “fase emergencial”.

Após ação movida pelos promotores Willian Guimarães e Renata dos Santos, de Mirandópolis, o MP determinou o bloqueio dos bens do prefeito e estabeleceu multa no valor de R$ 10 mil por dia de descumprimento do decreto de Doria, contando desde o dia 18 de março.

urante a fase emergencial, Sodario editou um decreto autorizando a abertura do comércio em geral entre as 8h às 18h, de segunda à sexta-feira.

Sodario permitiu ainda serviços de retirada de alimentos em restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência e bares, o que é proibido pelo governo do estado. Com a decisão, o MP revoga o decreto do prefeito.

Ao jornal Terça Livre, o prefeito disse que foi multado sumariamente e não teve o direito de se defender. “Meu decreto, ao mesmo tempo que garantia as medidas sanitárias, garantia uma forma mínima para que o nosso comerciante pudesse trabalhar. Juízes e promotores que estão há um ano em casa fazendo home-office, ganhando R$ 40 mil reais, estão multando um prefeito que está dando o mínimo de dignidade para sua população poder trabalhar”, declarou.

“Tudo foi feito de forma sumária. Eu não fui intimado do processo, ninguém foi intimado”, acrescentou Sodario.

Nas redes sociais, o prefeito de Mirandópolis publicou que trabalhará de graça nos próximos meses para pagar a multa. Ele também afirmou que possuía apenas R$ 273 de saldo bancário e que não possui bens a não ser um carro financiado.

“E a partir de agora não tenho dinheiro sequer para ir ao mercado”, disse.

 

 

Fonte: Gazeta Brasil / pordentrodapolitica

Mostrar Mais
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *