Operação Pistolagem da PC-AM, esclarece os assassinatos de Jefferson André Bungentab e Nelson Antônio da Conceição

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus), deflagrou, na quinta-feira (02/12) até esta sexta-feira (03/12), duas fases da Operação Pistolagem, para cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em nome do fazendeiro Celso Deola, 59, e Edimilson de Jesus Chagas, 33, pelos crimes de homicídio e extorsão.

A primeira fase da operação contou com apoio da Polícia Civil de Rondônia (PC-RO), e ocorreu na cidade de Ariquemes, naquele estado, na manhã de ontem, por volta das 8h. A segunda fase ocorreu na manhã de hoje, por volta das 6h, na fazenda de Celso, localizada no quilômetro 25, da BR-230.

De acordo com o delegado Mário Melo, titular da unidade policial, Celso é um fazendeiro apontado como mandante de homicídios ocorridos nos meses de agosto, outubro e novembro, em Humaitá. As vítimas foram identificadas como Jefferson André Bungentab, de idade não identificada; Nelson Antônio da Conceição, que tinha 33 anos, e um indivíduo de nome e idade não revelada. Já Edmilson é apontado como autor das três mortes.

“A motivação dos homicídios seriam desavenças que Celso tinha com as vítimas. Por este motivo, ele contratou Edmilson para cometer o delito contra Jefferson, Nelson e a vítima que ainda não identificamos”, disse o delegado.

Jefferson deixa mulher e uma filha pequena, se não fosse, os esforços da familia do Jefferson , que chegou se deslocar para Humaitá a procura dele, e o empenho da PC-AM,  seria um crime sem solução. O Seu Nelson também foi uma peça importante para o esclarecimento do assassinato do Jefferson.  

Segundo a autoridade policial, após as equipes tomarem conhecimento sobre o fato, iniciaram as diligências para localizar os infratores, ocasião em que foi solicitada à Justiça os mandados de prisões e buscas e apreensões em nome deles. As ordens judiciais foram expedidas no dia 19 de novembro deste ano, pelo juiz Diego Brum Legaspe, da 1ª Vara da Comarca de Humaitá.

“Na primeira fase da operação, nos deslocamos até Ariquemes, pois tínhamos informações que Edmilson estava escondido na cidade. Ao chegarmos a localidade, fomos recebidos com disparos de arma de fogo efetuados pelo infrator, que veio a óbito após o confronto com os policiais”, explicou o delegado.

Ainda conforme Melo, durante a segunda fase das diligências, os policiais seguiram até a fazenda de Celso, a fim de cumprir as decisões judiciais em nome dele, entretanto, o homem não estava no local, sendo considerado foragido.

Também temos a informação que Celso extorquia três empresários de Humaitá, que, supostamente, deviam dinheiro para ele. Seguiremos com os trabalhos policiais para localizar e efetuar a prisão dele”, disse Melo.

Apreensões – Em Ariquemes, foram apreendidos um revólver calibre 38, e uma pistola calibre 380. Na fazenda de Celso, foram apreendidas quatro armas de fogos, munições, lunetas e silenciosos.

Fonte: AI-PCAM / Foto: Divulgação

Mostrar Mais
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.